Ipatinga, 27 de Maio de 2017
HISTÓRIA

POLÍTICA

Administração



19 vereadores tomarão posse em janeiro de 2013, assim como a nova prefeita eleita Cecília Ferramenta.

De acordo com a Constituição de 1988, Ipatinga está localizada em uma república federativa presidencialista. Foi inspirada no modelo estadunidense, no entanto, o sistema legal brasileiro segue a tradição romano-germânica do Direito positivo. A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo. A cidade é ainda a sede de uma Comarca. De acordo com o TRE-MG (Tribunal Regional Eleitoral), o município possuía em 2010 cerca de 174 638 eleitores.

O Poder legislativo é constituído pela câmara, composta por 14 vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição) e está composta da seguinte forma: quatro cadeiras do Partido dos Trabalhadores (PT); três cadeiras do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB); duas cadeira do Partido Popular Socialista (PPS); duas cadeiras do Partido Verde (PV); uma cadeira do Partido Socialista Brasileiro (PSB); uma cadeira do Partido Democrático Trabalhista (PDT) e uma do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias). O município de Ipatinga se rege por leis orgânicas. Apartir de 2013, o legislativo será constituído por 19 vereadores, recém eleitos.

O primeiro representante do poder executivo e prefeito do município foi Délio Baeta Costa, eleito logo após a emancipação do município. Em treze mandatos, onze prefeitos passaram pela prefeitura de Ipatinga. Nos dez últimos anos, devido a grandes escândalos políticos, o município teve sete prefeitos. Em 2009 o prefeito eleito nas Eleições municipais no Brasil foi Chico Ferramenta, do Partido dos Trabalhadores (PT), com 47,08% dos votos válidos (64 167 votos). Chico Ferramenta foi impedido de tomar posse pela justiça eleitoral, o mesmo acontecendo com Sebastiao Quintao, assumindo assim, o presidente da CMI, Robson Gomes. Após essa turbulência política novas eleições foram realizadas no dia 30 de maio de 2010, vencendo Robson Gomes da Silva (PPS), com 57,78% dos votos, que tomou posse em 18 de junho de 2010. Essa foi considerada a maior eleição extemporânea já realizada em Minas Gerais. Em outubro de 2012, a candidata Cecília Ferramenta do PT venceu as eleições em Ipatinga com 61,54% dos votos válidos. Com 22,22% Rosângela Reis (PV) ficou em segundo lugar. Daniel Cristiano (PC) ficou em terceiro, com 12,16% e em último lugar o candidato Dr. Jésus (PMDB) teve a seu favor 4,8%.


 

Copyright © 2012 Todos os Direitos Reservado - www.euamoipatinga.com.br
Eu Amo Ipatinga - E-mall : contato@euamoipatinga.com.br