Ipatinga, 25 de Fevereiro de 2021
NOTÍCIAS

França e Bélgica aplaudem talentos da região

Programa que incentiva a criatividade e a melhoria contínua dos processos siderúrgicos completa 30 anos na Aperam South America


Grupo Gladiador: responsável pela solução de um problema que era crônico em muitas empresas

A inspiração teve duas origens: o cinema e o cotidiano na Laminação a Frio de Aços Elétricos. O grupo Gladiador, do Círculo de Controle de Qualidade (CCQ), percebeu que os cilindros utilizados na área para deixar o aço na espessura desejada se desgastavam de forma irregular. Com isso, a empresa precisava substituí-los com muita frequência. A situação mobilizou os integrantes a procurar uma forma de resolver o problema, e a solução estava na mudança de posição dos cilindros. A ideia brilhante precisava de um nome e os integrantes enxergaram semelhança na relação entre os cilindros e dois personagens bem conhecidos das telonas. Assim, nasceu o projeto que foi batizado de ‘O gordo e o magro’. E esta seria uma entre muitas outras propostas vitoriosas concebidas no ambiente industrial da Aperam South America, em Timóteo.

A iniciativa, de tão bem recebida, rendeu ao grupo o primeiro lugar no Seminário Geral de CCQ, no ano de 2001, e a oportunidade de representar a Aperam em um evento que reuniu projetos desenvolvidos por meio do CCQ, na França. “Fomos muito elogiados. Aquele problema era crônico em muitas empresas e nosso projeto poderia ser implantado em várias delas”, lembra o secretário do grupo Gladiador e mantenedor mecânico da Laminação a Frio de Aços Elétricos, Edgar Martins de Lana.

O reconhecimento pelos resultados e o surgimento de boas ideias marcam os 15 anos de trajetória do grupo Gladiador. Assim como na história desse grupo, ao longo de 30 anos a empresa viu surgir grande variedade de projetos que resultaram em mais segurança, redução de custos, conforto no ambiente de trabalho, integração entre os empregados e construção de conhecimento. Nestes 30 anos, projetos de CCQ da Aperam se destacaram em palcos nacionais e internacionais, conquistando prêmios de grande relevância.

Edgar Martins acredita que o segredo para a longevidade do programa e o alto índice de participação – atualmente são 257 grupos e 1.514 circulistas (empregados que participam do CCQ) - está no apoio recebido. “A direção da empresa acredita no CCQ. Temos liberdade para discutir processos com a proposta de melhorar. Assim, reunimos conhecimento técnico com a vivência na área e os resultados aparecem. Tinha que ser ideia de japonês mesmo! É um povo muito inteligente”, brinca.

. Sabedoria oriental

Após a derrota na Segunda Guerra mundial, o Japão, além de destruído por duas bombas atômicas, tinha a imagem de seus produtos desgastada, vinculada à má qualidade. Ao longo das décadas seguintes, transformou-se em um dos países mais desenvolvidos do mundo, entre outros fatores, pela elaboração de uma filosofia de trabalho baseada no aproveitamento das experiências e no potencial dos operários. Foi assim que nasceu o CCQ.

O programa desembarcou no Brasil na década de 1970 e treze anos depois começava a ser implantado na Aperam, com a participação de apenas três grupos. As áreas foram, aos poucos, ganhando capacitação para aplicar a nova ferramenta de trabalho. Quando a novidade chegou até a Redução, em 1991, o analista da Qualidade, Élvio de Souza Reis, não conteve a curiosidade. Foi selecionado para participar dos treinamentos ‘Filosofia do CCQ’ e ‘Metodologia para Análise e Solução de Problemas’ e, em seguida, tornou-se um multiplicador, capacitando 100% dos empregados da área. É orientador há 15 anos. “Fiquei interessado pela chance e enxerguei no CCQ uma grande oportunidade de crescimento. Orientar significa reservar um pouco do seu tempo para dar apoio aos colegas de trabalho. E o melhor de tudo é que vejo naqueles que participam, muito interesse e motivação pelo CCQ”, avalia.

. Do simples ao complexo

Além de boas ideias, trabalho em equipe e muita observação, outro ponto importante para desenvolver um projeto dentro do CCQ é o conhecimento das duas metodologias envolvidas e que estão diretamente relacionadas ao grau de complexidade do problema que deve ser resolvido: Ver e Agir e PDCA (sigla em inglês para planejar, desenvolver, checar e agir).

A primeira diz respeito a situações mais simples, quando causa e solução são facilmente identificadas. Nesse caso, devem ser seguidas sete etapas que incluem desde a descrição do problema até a análise do projeto executado, passando pela elaboração do plano de ação e pela criação de normas.

Já o PDCA inclui etapas de identificação do problema, histórico, definição do plano de ação, execução do que foi previsto, testes para verificar se a decisão tomada é a melhor, ações corretivas e preventivas, análise dos resultados e identificação de pontos de melhoria. Ele é utilizado quando a causa do problema é desconhecida ou se a solução demanda estudos mais aprofundados.

Uma turma que conhece bem a aplicação das duas metodologias é o grupo Vulcão. Criado em 1985, é o mais antigo da empresa. Há dez anos como integrante da equipe, o inspetor de manutenção elétrica da Aciaria, Gerson Horta acredita que a clareza e simplicidade de aplicação das duas metodologias - Ver e Agir e PDCA - contribuem para o sucesso do CCQ. “Uma sugestão mesmo que pequena pode trazer coisas muito boas para o setor de trabalho. E ver seu projeto aprovado é sinônimo de reconhecimento profissional, por parte de colegas e gestores”, aponta.

. Aliança de sucesso

O Programa Manutenção Produtiva Total (TPM) foi iniciado na Aperam no ano 2000 e tem como principal objetivo aumentar a capacitação dos operadores, por meio de treinamentos técnicos, para melhor diagnosticar os problemas nos equipamentos. Além de melhorar os resultados da Empresa, o TPM proporciona maior conhecimento técnico para os operadores e um ambiente de trabalho mais organizado, limpo e seguro. Desde 2005, o programa TPM, em parceria com o CCQ, caminha em busca da identificação de perdas e do desenvolvimento de projetos de melhoria para a Empresa.

. Reconhecimento nacional

As três décadas que marcaram a consolidação do CCQ na Aperam South America foram reconhecidas também pela União Brasileira de Qualidade (UBQ) durante a 22ª edição da Convenção Mineira de CCQ. O responsável mundial pela Saúde e Segurança do Grupo Aperam e diretor de Recursos Humanos da Aperam South America, Ilder Camargo, representou a empresa na homenagem. “O sucesso do Programa de CCQ da Aperam reflete a dedicação e orgulho de nossos empregados. Manter uma iniciativa viva durante 30 anos tem um diferencial muito grande. O CCQ insere-se no nosso modelo de gestão. Trata-se de um programa de participação voluntária, que reforça o papel de cada empregado na melhoria da competitividade da Empresa”, avalia Ilder Camargo.

______________________________________________________

*A palavra Eureka é utilizada quando uma pessoa tem uma ideia considerada genial para solucionar um problema difícil. Recebe esse significado porque, anos antes de Cristo, o filósofo Arquimedes teria descoberto como calcular o volume de ouro de um objeto após pensar muito sobre o assunto. Satisfeito com a ideia, teria saído correndo, gritando “heúreka”, que, em grego, significa “achei, encontrei”.

Fonte: http://www.jvaonline.com.br


 

Copyright © 2012 Todos os Direitos Reservado - www.euamoipatinga.com.br
Eu Amo Ipatinga - E-mall : contato@euamoipatinga.com.br