Ipatinga, 16 de Janeiro de 2018
PERSONAGENS

MARGARIDA DRUMOND

Conheça um pouco da história da escritora, poetisa, trovadora, cronista, ensaísta e historiadora nascida em Timóteo.


Escritora Margarida Drumond

TIMÓTEO - Sou mineira, de Timóteo, filha de Manuel Assis Bowen e de Margarida Drumond Bowen; mãe de três filhos rapazes, Gelmar, Juliano e Allan, e escritora, poetisa, trovadora, cronista, ensaísta, historiadora. Dizem que sou privilegiada, porque escrevo vários gêneros, e sou mesmo, graças a Deus, do que muito me orgulho. Ah, e adoro fotografar, já tendo feito exposições diversas. Sou professora de Língua Portuguesa e trabalho como Coordenadora de publicações e revisora de na Editora Universa da Universidade Católica de Brasília-UCB. Faço também, à parte, coordenação e revisão de obras e trabalhos acadêmicos. Ocupo a cadeira nº 12, patronada pelo romancista de Mecejana/CE, José de Alencar, na Academia Taguatinguense de Letras-ATL - DF, onde também exerço o cargo de Secretária da Academia; sou membro da Associação Nacional de Escritores – ANE e da Academia dos Trovadores do Distrito Federal – ATDF, entre outras instituições no país. Graduei-me em Letras-Português-Inglês na UNEC - Centro Universitário de Caratinga/MG, com Especialização Lato Sensu em Língua Portuguesa. Cursei Comunicação Social - Jornalismo, na UCB, onde também fiz o Mestrado em Planejamento e Gestão Ambiental, cuja dissertação intitula-se: “Percepção dos impactos socioambientais advindos do Turismo Religioso em Urucânia/MG. De intensa formação e vivência cristã, sou da Pastoral Vocacional e da Catequese – Paróquia São José – Taguatinga, participando ainda das Missas da Divina Misericórdia, Capela Santa Luzia, na Colônia Agrícola Samambaia/DF.

Vejam este texto escrito por Ademir e Alana, com base na peça teatral por mim escrita:

APRESENTADO DIA 14 DE JUNHO DE 2007, NO CENTRO CULTURAL TEATRO DA PRAÇA – TAGUATINGA – BRASÍLIA/DF DENTRO DA PROGRAMAÇÃO DE “MARGARIDA DRUMOND: 30 ANOS ESCREVENDO PRA VOCÊ”, COM O LANÇAMENTO DO LIVRO DE POESIAS ‘DE NOVO O AMOR’

Atriz: Alana Azevedo – Direção: Ademir Pereira –

Participações: cantor Joselito Bowen e a escritora Margarida Drumond

1970. Os habitantes da interiorana cidade de Timóteo e região do Vale do Aço ficavam ligados nas ondas sonoras da Rádio Educadora. Por trás das músicas, pregações e inúmeras atividades da rádio, um talento especial se manifestava, um brilho surgia em meio à redação de anúncios, informes, crônicas. Nascia Margarida Drumond de Assis, dançando com as palavras, brincando entre as frases e o imaginário dos ouvintes, apenas se preparando para a grande jornada que estava por vir: escrever. Sempre. por toda a vida.

Margarida trabalhava na Rádio Educadora, na Secretaria da Paróquia, escrevia para os jornais O Vale do Aço e O Popular. Em 1977, Margarida era secretária numa distribuidora de jornais. Mas como todo pássaro engaiolado, nossa heroína precisava alçar vôos mais altos. Em pouco tempo já estaria vencendo o primeiro desafio de sua jornada, estava pronto seu primeiro livro, UM CONFLITO NO AMOR.

Uma nova década se inicia, e nossa escritora insiste em seus escritos, cada vez mais apaixonada pela literatura. Em uma mesa, caderno de atas, lápis, borracha... Margarida parece cansada, querendo dormir, mas o ar de ansiedade se sobrepõe ao cansaço. Uma estória viva se move em sua imaginação, não deixando outra opção senão ser escrita. “Inácio é um médico e vai preso, desaparecem com ele. Ele sofre injustamente. Apaixonada por Inácio, Paula tenta descobrir para onde mandaram seu amado.” Aconteceu no cárcere era o título do livro. Mas o desejo de profundidade leva Margarida a mergulhar em sua pesquisa, esta estória estava imersa em uma realidade brutal que Margarida precisava conhecer, ver, sentir o gosto, o cheiro. Esse desejo a leva a Ribeirão das Neves, onde se encontrava o diamante bruto que Margarida precisava lapidar: uma penitenciária de segurança máxima.

Com três filhos pequenos, um romance pronto e suas insistentes visitas à penitenciária, Margarida seguia sua jornada como escritora. Em 1985, Margarida abre as portas do salão do Lions Clube de Cel. Fabriciano para a sua primeira noite de autógrafos. Era o lançamento de UM CONFLITO NO AMOR, que já havia vendido 450 exemplares em sua pré-edição. Passa-se um ano, é noite, Margarida tenta escrever, rabiscando insistentemente em uma folha de papel. Pega um livro de Carlos Drummond de Andrade, folheia um de Fernando Pessoa, olha um outro de Machado de Assis, quando de repente lê:

“Não me leias se buscas novidade ou sopro de Camões".

Então fecha o livro e começa a escrever, riscar, escrever sem parar. Esta explosão de letras e significados desperta Margarida para um novo tesouro ainda inexplorado: a paixão por escrever poesia.

Esta paixão dá saltos e alcança Margarida. Inúmeros títulos dançando em seu pensamento: Evocações, Intimidades da alma. Quadras.... Mas o nome escolhido não podia ser outro: BUSCA DE VOCÊ é o título de seu primeiro livro de poesias. Para estar ao seu lado na mesa do lançamento, em novembro, seu amigo cantor e compositor Joselito Bowen.

Persistente na pesquisa que começara em 1981, Margarida decide que é hora de passar para o papel toda a trama carcerária envolvendo Inácio e Paula. Após 11 anos de luta e pesquisa, foram exatos 9 meses de gestação para que sua estória ganhasse vida. Em 1993, Margarida se aventura para Brasília, onde, no ano seguinte, iria fazer o lançamento de ACONTECEU NO CÁRCERE (soltar mais este livro, como se fez com os dois primeiros) e se tornar membro titular da Academia Taguatinguense de Letras. Nossa escritora lança PREITO A JOSÉ DE ALENCAR (soltar mais este livro no cenário, como os anteriores), uma homenagem à vida e à obra deste escritor que já havia lhe rendidos tantas noites de reflexão.O tempo não pára e, em 1997, Margarida está às voltas com um novo lançamento. Trata-se do livro TEMPO DE SAUDADE, que, ao mesmo tempo em que conta a estória de Vó Helena, uma senhora que dá de cara com o amor aos 80 anos, retrata a história do município de Timóteo. Tudo começa com uma serenada em que Vó Helena se reencontra com um antigo amor... sonhos, recordações, uma estória apaixonante em uma época que deixa saudade...

Sempre dividida em diversas funções, Margarida agora é escritora, mãe, professora, estudante da Universidade Católica de Brasília e ainda trabalha na Editora Universa. Apesar de tanto trabalho duro, ela não pára de escrever e, em 2000, volta à sua cidade natal para lançar ALEM DOS VERSOS (desce o livro devagar), um mergulho na paixão e no amor. Outra história, também imersa nestes sentimentos profundos, era lançada simultaneamente, porém sendo esta uma história de um amor verdadeiro, seis décadas de muita luta, companheirismo e paixão. Era a história de seus pais, Manuel de Assis Bowen e Margarida Drumond Bowen: PEGADAS NO TEMPO (desce o livro neste momento), uma homenagem às Bodas de Diamante do casal.

Irrequieta, essa mineira timotense radicada em Brasília não pára. Agora quer concluir uma estória de amor que havia começado em 1986, na Bahia. O romance NO ACERTO DOS BONDES é lançado em dezembro de 2001, no Foyer da Sala Villa-Lobos. A decoração, as comidas típicas e todo o clima tropical criado pela autora envolviam os convidados no cenário das maravilhosas praias da Ilha de Itaparica, mas sem esquecer a aconchegante São Domingos do Prata, em Minas. E era nesses dois ambientes que renascia uma bela história de amor entre Beatrice e Cleber.

Em 2001 e 2002, seguidamente, Margarida é contemplada pelo Fundo da Arte e da Cultura. Em 2001 com No acerto dos bondes, e em 2002 com NÃO DÁ PRA ESQUECER (desce o livro), sendo este último uma coletânea das crônicas que vinha escrevendo desde 1970. De Indira Gandhi aos atentados de 11 de setembro, suas crônicas falam sobre os fatos inesquecíveis das últimas 3 décadas.

De agosto de 2002 a agosto de 2004, Margarida dedica-se ao Mestado em Planejamnento e Gestão Ambiental. Mas, logicamente, nossa heroína não abandonou sua missão de escrever. Em 2004, com seu mais novo livro de crônicas, ISSO, AQUILO E MAIS UM POUCO, Margarida recebe novamente o apoio do FAC, e lança seu livro na 23ª Feira do Livro de Brasília. Nestas crônicas Margarida intensifica as pistas dos novos rumos que sua escrita irá tomar. Elas falam sobre festas populares e datas comemorativas do calendário litúrgico e civil. Apesar de sua religiosidade nunca ter abandonado seu trabalho, ela começara a mostrar esse seu lado em Não dá pra esquecer, e agora se intensificava. Mas isso era só um sinal do que estava por vir. Em novembro de 2004, Margarida entrega para o público o resultado de uma longa pesquisa biográfica,era o lançamento de PADRE ANTÔNIO DE URUCÂNIA, A SUA BÊNÇÃO. Uma vida guiada por muita atitude, fé ardorosa, espontaneidade e bênçãos.Lançamento que se repetiria em nada mais nada menos que 87 cidades do Brasil, em dois anos.

A vida de nossa heroína não poderia ser contada sem seus livros, lançamentos, peripécias e fatos que sua missão e compromisso eterno com as leras lhe renderam.Na verdade, dificilmente Margarida conseguiria viver separada de sua arte. Mas, como todo bom artista, Margarida também não pode parar. E nem quer! Em junho de 2006, nossa escritora recebe um telefonema da Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal, o seu novo livro de poesias, DE NOVO O AMOR, havia sido aprovado! Cantando um amor mais maduro, Margarida firma os laços de amizade com o outro Drummond, em um tributo ao poeta, entoa seu Hino ao amor e nos brinda com pequenos textos sobre seus 12 livros publicados.

VÍDEO: Escritora Margarida Drumond na biblioteca de Timóteo/MG




 

Copyright © 2012 Todos os Direitos Reservado - www.euamoipatinga.com.br
Eu Amo Ipatinga - E-mall : contato@euamoipatinga.com.br