Ipatinga, 28 de Fevereiro de 2021
PERSONAGENS

LENÔRA PEIXOTO SANTOS COURA



LENÔRA PEIXOTO SANTOS COURA

Nasceu no dia 1º de agosto de 1927, cidade de Caeté - MG. Filha de Miete Pinto Rosa e Amador Peixoto de Melo, casou-se com o primeiro e ex-prefeito de Ipatinga, Fernando Santos Coura, em 25 de setembro de 1946 e tiveram sete filhos: William, Beatriz, Washington, Welington, Belquiz, Wilson e Bernadete. Dona Lenôra reside atualmente na Rua Mantena, bairro Sion, em Belo Horizonte.

Fernando Santos Coura nasceu em março de 1923, fez o curso primário no Grupo Barão do Rio Branco, em Belo Horizonte, o ginasial no Colégio Afonso Arinos, e o complementar de engenharia na Universidade Federal de Minas Gerais, em 1941 e 1942, também em Belo Horizonte. Mais tarde, em 1968, após ser aprovado no vestibular, ingressou na Universidade de Negócios e Administração - UNA, tendo concluído, apenas o 1º ano superior daquele curso. Iniciou sua carreira funcional com dezoito anos de idade, em 1941, como "perito" no Laboratório de Polícia, na Secretaria de Estado do Interior e Justiça de Minas Gerais.

Em 1994, ingressou na carreira siderúrgica, quase sempre como "pioneiro", trabalhando na Companhia Ferro Brasileiro (3 anos); no Parque Metalúrgico de Ouro Preto, da Escola de Engenharia daquela cidade (um ano); na Usina Siderúrgica de Minas Gerais - Usiminas (sete anos), onde ocupou cargos de cofiança e concluiu vários cursos especializados importantes, como: Relações Humanas no Trabalho, Assistência Social, Liderança de Reuniões, Comunicações e Chefia, Gerência de Vendas, T.W.I. e Técnica de Chefia e Treinamento, na Pontifica Universidade Católica do Rio de Janeiro. Foi Gerente da Construtora SISAL em Ipatinga, diretor gerente da administração de Pessoal Ltda, também em Ipatinga. Como jornalista, na capital mineira, contribuiu para o lançamento do semanário "O Sol", editou vários cadernos especiais no "O Globo" e "Estado de Minas". Criou a "Tribuna do Vale", periódico em Ipatinga, do qual foi seu Diretor de Produção. Sua última função foi ser Diretor da Produção da Pantafilmes Ltda, empresa especializada em produções cinematográficas, com sede em Belo Horizonte, tendo já produzido vários documentários mostrando realizações do Govêrno "João Lamego Neto".

Iniciou a carreira política como vereador na Câmara Municipal de Coronel Fabriciano em 1955, quando representava o então distrito de Ipatinga. Em outubro de 1965, convidado pelas várias lideranças locais, aceitou a indicação de seu nome para concorrer as eleições municipais. Foi então, eleito o primeiro prefeito de Ipatinga numa coligação dos partidos PSD e PTB, tendo como vice-prefeito os Sr. João Lamego Neto, para um mandato tampão de quatorze meses. A transmissão de cargo foi efetuada no dia 5 de dezembro, pelo então intendente, Sr. Délio Baêta da Costa. No mesmo dia, tomaram posse os seus auxiliares mais diretos: Ana Maria Leite Matiolli - Secretária; Francisco Amor Divino, Departamento de Fazenda; Efigênio de Freitas Vimiero, Administração; Dr. Lúcio Maria de Pinho, Obras Públicas; Dr. Abner de Souza Pena, Educação e Saúde; Dr. José Roque Pires, Negócios Jurídicos; Dr. Tércio Lins, Patrimônio; e Contabilidade, Sr. Sidnei Carreiro Lucas.

Completada a equipe de assessores diretos, o primeiro prefeito partiu imediatamente para a difícil tarefa de montar a estrutura administrativa da Prefeitura. Foi um trabalho árduo e de base, tão conscientemente e esquematizado que até hoje foi mantido, guardando as devidas proporções de crescimento do município, naturalmente. Pelo curto período de permanência no cargo (nove meses de governo), o ex-prefeito de Ipatinga considera que suas realizações também foram limitadas, principalmente porque não havia ainda o gordo ICM, que surgiu apenas em 1967.

Pontes foram construídas nos bairros Limoeiro, Bom Jardim, Esperança e Barra Alegre. A prefeitura concluiu entendimento com a Cohab e Banco Nacional da Habitação, para a construção de quinhentas casas populares no Prato Raso (hoje Novo Cruzeiro), das quais duzentas seriam construidas imediatamente. Como último destaque, por intermédio de Dr. Luiz Verano, diretor da Usiminas, a empresa cedeu uma vasta extensão de terra no centro de Ipatinga, de sua propiedade, sem ônus, para a construção de uma larga avenida central, até então a maior artéria urbana da cidade, a fim de aliviar e descentralizar o tráfego intenso da cidade. A sua largura de quatorze metros de pista, três de passeio, de cada lado, e com uma extensão de 1.600 metros, interligando a MG-4 ao bairro Iguaçu, na altura do Colégio Estadual João XXIII.

"Estas foram as principais realizações do primeiro prefeito de Ipatinga no exíguo período de nove meses de governo, e com poucos recursos financeiros de sua época, sem o valioso ICM de hoje. Dependíamos quase exclusivamente da Usiminas, que atravesssava também uma fase difícil de construção de sua Usina Intendente Câmara, e por isso nunca teve condições de atualizar o pagamento de seus impostos. O sacrifício porém, foi plenamente compensador. Embora com as dificuldades apontadas, consegiu cumprir o dever com lealdade, sobretudo, com honestidade. E, como quer por reconhecimento a essa caminhada árdua, mas profícua, tive a honra de receber uma valiosa "Comenda da Ordem dos Bandeirantes", das mãos de seu ilustre chanceler, Comendador Malaquias Aguiar Dumont, cuja homenagem muito me honrou e encheu me de orgulho, e que jamais será esquecida".

"O relacionamento com o Poder Legislativo foi o mais cordial possível. A Câmara Municipal de Ipatinga era composta dos seguintes vereadores, e a eles presto aqui minha homenagem pelo tanto que colaboraram para o bom êxito do meu governo: Wilson Teixeira, Hamilton Frade Leite, Gedeão de Freitas (presidente), João de Souza Carvalho, Renato Cotta Poggiali, Elias Corrêa de Oliveira, Heli Emerich, Sebastião Dias Bicalho e Dário Paulo da Silva.

"Fui duplamente "pioneiro em Ipatinga, pois aqui cheguei no final de 1958, quando me incorporei ao grupo daqueles heróis anônimos que tudo enfrentaram para erguer este, que é hoje o maior complexo siderúrgico da América do Sul: A USIMINAS. Em seguida fui também pioneiro na formação da vida administrativa da cidade, pois com orgulho, fui o primeiro prefeito. Mas confesso que ainda fiz pouco. Gostaria de fazer muito mais, já que em Ipatinga me recebeu de braços abertos, e o fazer alguma coisa por ela era apenas uma prova de gratidão".

FONTE e mais detalhes sobre a história, causos e pioneiros de Ipatinga, veja a Coletãnea de José Augusto Moraes - "IPATINGA - "Cidade Jardim". 9428-9505


 

Copyright © 2012 Todos os Direitos Reservado - www.euamoipatinga.com.br
Eu Amo Ipatinga - E-mall : contato@euamoipatinga.com.br