Ipatinga, 17 de Agosto de 2022
PERSONAGENS

WELLINGTON GONÇALVES - "Linto"

"Ipatinga é uma das melhores cidades do estado para se viver", assim é definida a cidade por Welington Gonçalves - o "Linto"


Welington Gonçalves - "Linto". "Tenho meu umbigo fincado aqui, por isso não saí da cidade",

IPATINGA - Nasceu em Ipatinga – MG, no dia 14 de junho de 1963. Filho de Benedita Diula Gonçalves "Dona Dita" e Sílvio Gonçalves, casou-se com Marlene Coelho Braga Gonçalves no dia 26 de maio de 2000.

"Uma das melhores cidades do estado para se viver", assim é definida a cidade de Ipatinga por Welington Gonçalves - o "Linto". "Tenho meu umbigo fincado aqui, por isso não saí da cidade", brinca o empresário. A história de sua família começa na década de 30, quando o avô Jair Gonçalves veio de baguari para a região. "Naquela época meu avô tinha uma sociedade com Alberto Giovaninni e realizou o loteamento da Fazenda Pato Raso, onde hoje são os bairros Iguaçu e Cidade Nobre. As vendas foram administradas pela Pedro Linhares Imóveis", revela Welington. Jair Gonçalves também foi vereador na cidade de Coronel Fabriciano e participou ativamente da emancipação do município de Ipatinga. O pai de Welington, Sílvio Gonçalves faleceu jovem.

O INÍCIO

Linto recorda do loteamento dos bairros da cidade. "A Avenida Brasil era um pequeno caminho, por onde passávamos. O iguaçu era apenas um bairro de passagem. Lembro da instalação da rede fluvial e das "Tanapus", máquinas de terraplenagem", aponta. No centro, havia apenas uma estrada, onde hoje é a avenida 28 de abril. "Ninguém imaginava que a cidade crescesse assim em tão curto espaço de tempo", revela o empresário.

AVENIDA BRASIL

Por obra do destino, Linto que viu de perto o começo do iguaçu, hoje trabalha na imobiliária localizada no mesmo bairro. "Quem vê a foto do início do loteamento é capaz de não reconhecer o Iguaçu", brinca. As poucas casas e as pequenas ruas, ainda sem calçamento, cederam espaço a um bairro que hoje conta com uma das grandes avenidas de Ipatinga, a Brasil. Nela estão presentes grandes comércios de diversos segmentos. Para linto todo esse desenvolvimento teve impulso com a instalação da siderúrgica no município. "A cidade adquiriu uma excelente infra-estrutura. Outra característica positiva, é o desenvolvimento da área cultural", comenta. Para o futuro, o empresário espera que a cidade mantenha o nível de desenvolvimento crescente e que posso retribuir os investimentos nela realizado.

ESTUDO

A cidade só passou a contar com escolas do segundo grau no final da década de 60. Por esse motivo, os estudantes precisavam sair da cidade. Devido também ao comércio incipiente as compras eram realizadas nas cidades vizinhas, em Coronel Fabriciano ou em Governador Valadares. "Era difícil chegar a Fabriciano, a passagem era feita pelos bairros Amaro Lanari e Mangueiras. Na década de 70, mesmo com asfalto, a estrada era pequena, se o carro estivesse atrás de um caminhão, o percurso seria feito todo nessa condição", recorda Maria das Graças Gonçalves - ­ a "Dora", irmã de Welington.

TV NA PRAÇA

Assistir a televisão na praça era uma excelente programação na década de 70. "Todo mundo ia para lá, a praça tornou-se o lugar de encontro", diz Linto. Nos finais de tarde, o local também estava reservado para as brincadeiras, os tocadores com seus violões, os namorados, as amizades. "Lembrar de tudo isso dá uma saudade. a Dona Biloca fazia bolinhos de chuva e levava pra gente na praça" comenta Dôra.




 

Copyright © 2012 Todos os Direitos Reservado - www.euamoipatinga.com.br
Eu Amo Ipatinga - E-mall : contato@euamoipatinga.com.br